quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

Doação de Livro



      No dia 24 de novembro de 2015 a Direção do Museu das Missões/Ibram recebeu a visita da historiadora Nadir Damiani, coordenadora do Centro de Cultura Missioneira – CCM da Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões (URI), campus Santo Ângelo, uma instituição comunitária de ensino superior localizada na região Noroeste do Rio Grande do Sul. Durante a visita a professora Nadir Damiani apresentou projetos de pesquisa sobre a história missioneira e realizou a doação de um exemplar do livro intitulado "Gastronomia Tradicional: regiões Missões e Central do RS- Brasil", para compor o acervo bibliográfico do Museu das Missões. A obra foi organizada pela Drª Rut Friedrich Marquetto e lançada recentemente pela editora da URI, abordando a história da gastronomia missioneira e suas representações étnicas, a exemplo da gastronomia indígena, espanhola, portuguesa, africana, italiana, germânica e polonesa.
 
Fonte: Museu das Missões/IBRAM/MinC

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Chamada Pública para Diretor do Museu das Missões



Está aberta a Chamada Pública para o cargo de Diretor do Museu das Missões.
Confira o edital e a publicação no D.O.U.
Participe!

Divulgação: Museu das Missões/IBRAM/MinC

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Museu das Missões disponibiliza 'Dossiê Missões' para download



Em comemoração à 9ª Primavera dos Museus, o Museu das Missões/Ibram disponibiliza os três volumes do Dossiê Missões para download. As publicações estão disponíveis no site do IBRAM

O acervo do Museu das Missões, em maioria composto de esculturas em madeira e pedra produzidas ao longo dos 150 anos de Missões, por muito tempo foi considerado pela própria instituição como "barroco jesuítico", "arte jesuítica" ou outras denominações que atribuíam autoria dos feitos missionais exclusivamente aos padres. O mesmo se dava com o próprio complexo arquitetônico dos remanescentes da antiga Missão de São Miguel, conhecidas como Missões Jesuíticas. Com isso, a autoria indígena, a participação ativa de diversas etnias no processo missional foi silenciada, fenômeno que também se aplicou ao Sítio Arqueológico São Miguel Arcanjo, onde se encontram os remanescentes arquitetônicos da antiga Missão. O resultado foi a continuidade da marginalização da população indígena no interior do processo.

O Dossiê Missões, publicado em 2009, investiga na documentação histórica deixada pelos próprios jesuítas evidências da relação indígenas com a produção de imagens e dos espaços que constituíam os povoados. A publicação do historiador Jean Baptista é fruto de uma pesquisa, iniciada em 1998, sobre as missões indígeno-jesuíticas no Rio Grande do Sul.

A obra encontra-se dividida em três volumes. O primeiro dossiê, O Temporal, refere-se aos assuntos estruturais dos povoados. Constituição dos espaços, formação social e diversidade étnica, leis e divisões simbólicas missionais são seus temas centrais. O segundo dossiê, O Eterno, trata basicamente de aspectos relativos ao debate em torno das crenças e práticas em solo missional. Nele se investigam questões relativas à economia simbólica, práticas de cura e de percepção do além-morte, além dos períodos de guerra. O último dossiê, As Ruínas, procura acompanhar o estado das estruturas missionais imediatamente após a partida dos jesuítas dos povoados até o fim do século XIX. A transformação tanto das pessoas quanto daqueles espaços é seu tema central.

Fonte: IBRAM/MinC

Museu das Missões integra publicação sobre instituições missioneiras


O Museu das Missões (Ibram/MinC), localizado em São Miguel das Missões (RS), é retratado em publicação do Observatório Missioneiro de Atividades Criativas e Culturais (OMiCult).

A publicação Instituições Culturais: a região das Missões, lançada este mês, tem como objetivo difundir a história e o contexto social de criação ou estabelecimento das principais instituições culturais na histórica região das Missões.

Por meio de textos escritos por pesquisadores convidados, são relatados a história de constituição e formação das instituições missioneiras. O texto sobre o museu foi escrito pelo servidor do Museu das Missões, Diego Luiz Vivian.

Neste primeiro volume, estão contidas, além do Museu das Missões, outras três instituições culturais: Centro de Cultura Missioneira – CCM URI Santo Ângelo, com texto de Nadir Lurdes Damiani e Débora Doraiba Menezes; Centro de Criatividade Sãoluizense, apresentado por Sonia Bressan Vieira; Núcleo de Arqueologia do Museu Municipal Dr. José Olavo Machado em Santo Ângelo, com texto de Raquel Machado Rech.

A versão digital (eBook) gratuita está disponível para download. O livro é uma parceria do OMiCult com a Editora Conceito de Porto Alegre.

O Observatório é um coletivo de professores e alunos da Universidade Federal do Pampa (Unipampa), Campus São Borja, dos cursos de Relações Públicas – ênfase em Produção Cultural e de Publicidade e Propaganda.

Texto e imagem: Divulgação Museu das Missões

terça-feira, 19 de maio de 2015

Espetáculo teatral para estudantes marca passagem dos 75 anos do Museu das Missões

O Museu das Missões (IBRAM/MinC) promove, de 19 a 21 de maio, na sede social da Associação dos Funcionários Públicos Municipais de São Miguel das Missões (AFUSAM), uma série de apresentações teatrais para estudantes do município. O grupo de teatro “A Turma do Dionísio” vai encenar uma peça ficcional inspirada na vida e no trabalho de João Hugo Machado, o primeiro zelador do Museu das Missões.
Quando da criação do Museu, Machado foi o responsável por recolher obras espalhadas pela região das Missões assim como também por cuidar das obras e zelar pelo funcionamento dessa unidade museológica.
            Intitulado “Escultórias Fascinantes”, o espetáculo teatral será exibido durante três dias seguidos, e em turnos diferentes, para estudantes das redes de ensino municipal e estadual de São Miguel das Missões. A apresentação da peça, que será seguida de uma atividade educativa com os estudantes, marca a passagem dos 75 anos do Museu das Missões. Também integra a programação da 13ª Semana Nacional de Museus, promovido pelo Instituto Brasileiro de Museus (IBRAM), de 18 a 24 de maio. Conta com o apoio local da Secretaria Municipal de Educação e da AFUSAM.
            O Museu das Missões foi criado por meio do decreto-lei nº 2.077, de 8 de março de 1940, assinado pelo então presidente Getúlio Vargas. O objetivo da sua criação era o de reunir e conservar as obras de arte ou de valor histórico relacionadas com os Sete Povos das Missões Orientais, fundados pela Companhia de Jesus na região Noroeste do Rio Grande do Sul.
            Projetado pelo arquiteto Lucio Costa, o Museu das Missões foi o primeiro no mundo edificado para tratar do tema “Missões”. Somente alguns anos depois outros países, como Argentina e Paraguai, construíram museus que também estavam voltados para essa temática. O Museu das Missões reúne a maior coleção pública de imagens missioneiras do Mercosul. As três salas de exposição do Pavilhão Lucio Costa apresentam 81 imagens missioneiras.

“O trabalho da equipe do Museu está voltado tanto à conservação e preservação dessas obras do chamado barroco-missioneiro, assim como para a pesquisa, documentação e divulgação dessa rica experiência histórica”, destaca o diretor do Museu das Missões, Ariston José Correia Filho. “Temos também uma preocupação especial para conscientizar as pessoas sobre a importância de conhecer e preservar esse patrimônio histórico e cultural”, acrescenta ainda. 


sábado, 31 de janeiro de 2015

Nomeado o novo presidente do Instituto Brasileiro de Museus

Publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira (27), portaria que nomeia Carlos Roberto Ferreira Brandão como presidente do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) – autarquia vinculada ao Ministério da Cultura (MinC).


Novo presidente do Ibram, Carlos Roberto Brandão é professor titular da USP

Indicado pelo ministro da Cultura, Juca Ferreira, o professor titular do Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo (USP), atual vice-diretor do Instituto de Estudos Avançado (IEA) daquela universidade, já dirigiu o museu entre os anos de 2001 e 2005, onde também foi curador da coleção de insetos Hymenoptera.

Doutor em Ciências Biológicas (Zoologia), foi membro do Comitê Executivo do Conselho Internacional de Museus (Icom), entre 2010 e 2013, além de ter presidido o Comitê Brasileiro no período 2006-2010.

Brandão foi presidente do Comitê Organizador da Conferência Internacional do Icom Rio de Janeiro e organizador do Icom South-South Museums Dialogue – ambos realizados em 2013.

Carlos Roberto Brandão Também atuou como membro suplente do Conselho Nacional de Políticas Culturais (CNPC) do MinC, integra conselhos de entidades culturais, da Comissão de Cooperação Internacional (CCInt) da USP e da Câmara Setorial de Museus da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, além de ser pesquisador associado do Museu Americano de História Natural. Saiba mais.

O novo presidente do Ibram tem 30 dias para tomar posse no novo cargo.

Texto: Ascom/Ibram
Foto: Divulgação/internet